Contraste |
| |

    ENTREVISTA | Coordenadora do NAE faz balanço do trabalho desenvolvido pelo núcleo em 2019

    Assessoria de Comunicação – UEMG Unidade Divinópolis
    Edição de texto: Elvis Gomes
    Foto: André Camargos

    2019 foi um ano importante para o Núcleo de Apoio ao Estudante (NAE) da UEMG Divinópolis. “Ao chegar ao NAE, sabíamos que, diante de tantas expressões das questões sociais, nem de longe conseguiríamos abarcar todas as necessidades dos estudantes. Resolvemos, então, olhar para nossas potências”, ressaltou a coordenadora do núcleo, professora Virgínia Raimunda Ferreira, em entrevista ao site da Unidade.

    Virgínia é graduada em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas) e mestre em Promoção de Saúde e Prevenção da Violência pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Além disso, é vice-coordenadora do curso de Serviço Social da UEMG Divinópolis e professora de Kundalini Yoga, certificada pelo Kundalini Research Institute (KRI).

    Além de destacar as atividades desenvolvidas pelo NAE, entre as quais o evento CUIDAR, a professora comentou sobre as perspectivas e os desafios para 2020. Confira a entrevista completa.

    ***

    Que balanço você faz do trabalho desenvolvido pelo NAE neste ano?

    Virgínia – A palavra balanço vem de balançar: equilibrar, contrapesar, compensar, contrabalançar. Acredito que foi isso o que tentamos fazer ao longo deste ano no NAE.

    De acordo com autores como Mônica Duarte Cavaignac e Renata Maria Paiva da Costa, são diversas as expressões da questão social que afetam os estudantes, tais como os desafios para a permanência na instituição de ensino, sejam estes do ponto de vista social, político, cultural e subjetivo. A Unidade Divinópolis, que recebe estudantes de diferentes cidades e estados do Brasil, não oferece, ainda, benefícios como moradia e alimentação, o que, para muitos, fragiliza a possibilidade de permanência na Universidade.

    Assim, ao chegar ao NAE, sabíamos que, diante de tantas expressões das questões sociais, nem de longe conseguiríamos abarcar todas as necessidades dos estudantes. Neste sentido, não adiantava apenas lutar por condições dignas junto a estes, uma vez que esta luta será longa, haja vista os desmontes das políticas públicas por que estamos passando. Resolvemos, então, olhar para nossas potências. E, para alcançar este olhar, foi de fundamental importância a presença assídua dos estudantes no NAE. Seu olhar para frente, a fim de descobrir possibilidades, foi determinante para os processos que se desenrolaram ao longo do ano.

    Em janeiro de 2019, nasceu o sonho de um cuidado aos estudantes de maneira inovadora e que pudesse contemplar as várias dimensões do ser. Nasceu o CUIDAR na UEMG, com o fim de despertar os estudantes para o conhecimento e a valorização de saberes não acadêmicos e sobre a importância do autocuidado.

    O evento contou com duas edições: em abril, encerrando a 4ª Semana de Artes, e no dia 19 de outubro.

    O objetivo do CUIDAR é oferecer aos participantes a oportunidade de ampliar as práticas de cuidado com a saúde e o bem-estar. O evento possibilitou a participação da comunidade interna e externa.

    As duas edições contaram com sessões de Barras de Access Consciousness, reiki, Reabilitação Integrada segundo o método Resseguier, body talk, microfisioterapia, Constelação Sistêmica Familiar, Terapia do Som, osteopatia, tarô e yoga com relaxamento e taças tibetanas e rodas de conversa sobre homeopatia na odontologia e agrofloresta. Em ambas as edições, foram oferecidos café da manhã e almoço vegetariano, produzidos a muitas mãos. A segunda edição foi acrescida de feira de artesanato, oficinas de bonecas abayomi e tingimento natural, música ao vivo, quick massage, Sukyo Mahikari, ventosaterapia e rodas de conversa sobre depressão e terapia em grupo. Ambas as edições contaram com roda de capoeira para finalizar o evento. A roda teve a presença de capoeiristas da região, trazendo a cultura como afirmação de identidades e valorização da memória social.

    Como dito, o CUIDAR foi um evento, e sabemos da importância de se manter um cuidado cotidiano. Para tanto, são oferecidas atividades, todas voluntárias e gratuitas, abertas à comunidade. Temos atividades semanais, parcerias e outros eventos, como mostra o quadro a seguir:

    O NAE ainda apoiou o Diretório Acadêmico da Unidade na realização do Congresso dos Centros Acadêmicos e Diretório Acadêmico (Cocada) e no Congresso Estudantil da UEMG (Conuemg), com o objetivo de fortalecer o compromisso do setor em apoiar os estudantes em suas diversas lutas e demandas.

    Por fim, cabe salientar que todo o trabalho realizado pelo NAE contou com a fundamental parceria dos estudantes e estagiários, do Diretório Acadêmico, da Diretoria e da Vice-Diretoria Acadêmicas da Unidade, de diversos professores, da Assessoria de Comunicação, da Agência Experimental 3 Mil e Um [do curso de Publicidade e Propaganda], do setor administrativo e do pessoal da Manutenção. Como pretendíamos, foi uma gestão colegiada, que possibilitou a realização de ações que, esperamos, tenham permitido aos envolvidos experiências significativas de “pertencência” social.

    Quais são os desafios e as perspectivas em relação à área de apoio ao estudante da Unidade para 2020?

    Virgínia – Muitos são os desafios que nos esperam. As expressões das questões sociais se multiplicam e as políticas públicas são espremidas.

    Ao longo do ano, pudemos decifrar fragilidades, como acessibilidades e adaptações para pessoas com diversas deficiências, dentre outras adaptações de que muitos estudantes necessitam para que possam ter desempenho satisfatório nos cursos.

    Acreditamos que muitas são as perspectivas, pois a abertura para participação da comunidade nas diversas atividades do NAE, assim como as parcerias estabelecidas, tem proporcionado possibilidades de ações que prometem importantes frutos.

    Tags:
    © 2021 UEMG