Contraste |
| |

    Pandemia traz mudanças e novas experiências aos participantes do Intercom

    Texto: Edivânia Souza (estudante de Jornalismo da UEMG Divinópolis)
    Imagens: Reprodução
    Coordenadora de estágio obrigatório do curso de Jornalismo da UEMG Divinópolis: professora doutora Daniela Martins Barbosa Couto
    Orientação de estágio: Jornalistas André Camargos, Elvis Gomes e Isabella Marques | Assessoria de Comunicação – UEMG Divinópolis


    Entre os dias 1º e 20 de dezembro de 2020, cinco estudantes dos cursos de Comunicação Social (Publicidade e Propaganda) e Jornalismo da UEMG Divinópolis participaram da 43ª edição do Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, realizado pela Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (Intercom). O congresso deveria acontecer na Universidade Federal da Bahia (UFBA), porém, devido à pandemia do novo coronavírus, a apresentação foi feita de forma “on-line”. A edição abordou o tema “Um mundo e muitas vozes: da utopia à distopia?”.

    De acordo com informações do site do evento, “a Intercom é uma instituição sem fins lucrativos, destinada ao fomento e à troca de conhecimento entre pesquisadores e profissionais atuantes no mercado. Fundada no dia 12 de dezembro de 1977 em São Paulo, a Intercom preocupa-se com o compartilhamento de pesquisas e informações de forma interdisciplinar. A sociedade é responsável, ainda, pelo lançamento de livros e revistas especializados em Comunicação e pela busca de parcerias com entidades de mesmo objetivo e institutos e órgãos de incentivo à pesquisa brasileira e estrangeira”.

    A UEMG Divinópolis foi representada no evento por três estudantes do curso de Jornalismo e dois do curso de Comunicação Social (Publicidade e Propaganda). Antes do evento, os participantes receberam orientações via e-mail, informando como seriam realizadas as apresentações. Todos deveriam se conectar alguns minutos antes do horário de início (14h) para testar câmera e som. Cada participante tinha até 15 minutos para defender seu projeto. Um mediador e um professor/pesquisador discutiam cada trabalho e faziam algumas perguntas após as apresentações.


    Ayllana da Cunha Ferreira, do 8º período de Jornalismo, apresentou o trabalho que teve como temática “Informação e entretenimento na cobertura jornalística dos esportes eletrônicos: um estudo de caso do ‘podcast’ ‘Early game’”. Ela foi orientada pela professora doutora Ariane Barbosa Lemos. Ana Laura da Silva Corrêa, também aluna do 8º período e bolsista do Programa Institucional de Apoio à Pesquisa da UEMG (PAPq), abordou o tema “Trabalho na comunicação fora dos grandes centros urbanos”, desenvolvido com o incentivo do projeto de iniciação científica do PAPq. Ela teve como orientadora a professora doutora Janaina Visibeli Barros, membro do Centro de Pesquisa Comunicação e Trabalho (CPCT) da Universidade de São Paulo (USP). Isabelle Marie Silve, também do 8º período, apresentou a temática “Consumo de ‘podcasts’ e produção de sentidos: análise do programa “Mamilos – Jornalismo de peito aberto”, orientada pela professora doutora Ariane Barbosa Lemos.

    Beatriz Fonte Boa Albernaz e Matheus Antônio Vieira, do 6º período de Comunicação Social (Publicidade e Propaganda), apresentaram um artigo desenvolvido na disciplina de Gestão de Negócios em Comunicação, ministrada pela professora Janaina Visibeli Barros, com o tema “Contexto de ‘streaming’ e mídias tradicionais: audiência, alcance e transformações na atualidade”, no qual a temática discutida era a relação das mídias com o ‘streaming’. O artigo trata-se de uma análise do crescimento exponencial do consumo de conteúdo sob demanda em plataformas como Netflix e Spotify. Foram apresentadas questões como: Quais são as características dessa forma de consumo? O que possibilitou que ela se tornasse tão popular? Como a mídia tradicional (TV aberta, TV fechada e rádio) tem se comportado frente a esse novo concorrente de mercado? E quais portas o “streaming” abriu para anunciantes em suas plataformas? Eles também foram orientados pela professora Janaina Visibeli Barros. Além desses alunos, outros dois participaram da construção e apresentação do trabalho, Ana Carolina Conesa Monteiro e Mateus Tavares Ferreira.

    Mundo do trabalho
    Janaina Visibeli conta como as temáticas dos trabalhos de seus orientandos dialogam com a atualidade. O trabalho de Ana Laura foi uma iniciação científica que mostra “como os profissionais do jornalismo local, uma área que não tem absorvido profissionais com carteira assinada, tem se utilizado dessas tecnologias de informação e comunicação para encontrar alternativas para o seu trabalho; tem a ver muito com questões contemporâneas do mundo do trabalho e com questões contemporâneas do tipo de tecnologia disponível”. Beatriz e Matheus apresentaram um resultado do trabalho da sala de aula que mostra “a própria contemporaneidade dos ‘streamings’ e das plataformas, compreendendo os impactos no cotidiano e no mundo do trabalho da comunicação e na própria formação e como eles precisam criticamente ter uma formação mais esclarecida, observando esse movimento da transformação das coisas e, ao mesmo tempo, observando o movimento do contexto onde estão inseridos”.

    Ariane Lemos também fala sobre o diálogo dos trabalhos apresentados e a atualidade. “Os eventos acadêmicos oferecem discussões relevantes para se acompanhar as agendas de pesquisas da Comunicação, incluindo estudos interdisciplinares com outras áreas do conhecimento. Boa parte das pesquisas apresentadas nesses eventos está em desenvolvimento ou se refere a estudos concluídos há pouco tempo. Assim, consegue-se ter um panorama atualizado das pautas, o que permite, inclusive, apontar tendências para futuras pesquisas. No caso do Intercom 2020, muitos foram os temas discutidos acerca do futuro do Jornalismo e da grade curricular dos cursos”.

    Formação acadêmica e profissional
    Janaina e Ariane também falam da importância de os estudantes participarem do Intercom, tanto para a vida acadêmica quanto profissional. “O Intercom é o maior congresso brasileiro de Comunicação. São vários eventos simultâneos: conferências, palestras, oficinas, fóruns e encontros de redes de pesquisadores. Participar como ouvinte já é oportuno pela diversidade de perspectivas sobre o campo da Comunicação, com as quais podem se relacionar. Além da oportunidade de ouvir pesquisadores de referência no campo nacional e internacional. Para quem ainda participa apresentando trabalhos no Intercom Júnior, é oportuno o debate com os pares sobre o trabalho de iniciação científica, extensão ou ensino apresentado pelos alunos. Nos congressos, temos a oportunidade de conhecer pessoas de outras realidades culturais, sociais, econômicas e ambientais, que falam de territórios distintos. Isso movimenta o nosso olhar e nos ajuda a sair do lugar e ampliar nossas perspectivas”, conta Janaina. “Participar de eventos acadêmicos a exemplo do Intercom agrega bastante ao currículo e contribuiu muito para a formação profissional dos alunos e das alunas. Ao longo dos encontros, tem-se a oportunidade de socializar experiências acadêmicas e profissionais com outros(as) estudantes e pesquisadores(as) de diversas partes do país. Mesmo na modalidade virtual, o intercâmbio de ideias prevalece”, relata Ariane.

    Os estudantes da UEMG ressaltam como foi essa experiência de participar do Intercom, principalmente pelo evento ter sido realizado de forma virtual. “Foi incrível! É muito significativo para os estudantes, especialmente aqueles que nem mesmo terminaram a graduação, como foi o nosso caso, poder participar de um evento tão grande e tão reconhecido dentro da comunidade acadêmica. Particularmente, eu achei a experiência ‘on-line’ talvez até mais proveitosa que a presencial. Digo isso pois a facilidade de sair de uma sala virtual e entrar em outra logo em seguida não existe no espaço físico”, conta Beatriz.

    Experiência
    Alguns comentam que, se o evento fosse presencial, talvez não conseguissem estar presentes. Matheus relata que “essa foi minha experiência no Intercom, que eu provavelmente não teria tido a chance de participar se não fosse ‘on-line’. Foi uma experiência que me marcou e me acrescentou muitíssimo, principalmente por causa da variedade incrível de trabalhos e discussões apresentados”. Ayllana também conta sua experiência: “Eu gostei bastante por ter me permitido participar de várias oficinas e minicursos. Se fosse presencial, nem sei se eu poderia ter ido”. Isabelle diz que “a experiência foi maravilhosa! Sem dúvidas, o compartilhamento presencial teria sido de grande valia, conhecer as pessoas, os colegas de apresentação, a Universidade de Salvador. Mas acho que tudo tem seu propósito... Neste ano atípico, conseguiram, mesmo a distância, reunir milhares de acadêmicos para um evento lindo e muito bem organizado”. Ana Laura conta que participou de dois Intercoms e que o “evento é sempre muito enriquecedor, com pesquisas, palestras, oficinas e minicursos. Foi uma pena ter sido ‘on-line’, mas não tinha como ser de outra forma, e foi igualmente uma experiência incrível”.

    Ao serem questionados se os temas dos trabalhos apresentados tinham alguma relação com os Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC), Isabelle e Ayllana disseram que sim. “É um dos capítulos do meu TCC. Ariane e eu decidimos essa abordagem para já testar/validar o que pretendíamos falar”, conta Ayllana. “Sim, o artigo apresentado no Intercom foi um compilado do meu TCC”, relata Isabelle. Matheus disse que “até a realização do TCC não havia essa relação. Mas, com os bons frutos gerados do artigo, ele se tornou uma motivação de pesquisa”. Ana Laura conta que o trabalho foi uma “iniciação científica desenvolvida como bolsista em 2019”. Beatriz relata que “os temas não se parecem em nada. Mas auxiliou muito no tema de TCC de um dos colegas de grupo”.

    Confira os trabalhos apresentados:

    “Trabalho na comunicação fora dos grandes centros urbanos” 

    “Informação e entretenimento na cobertura jornalística dos esportes eletrônicos: um estudo de caso do ‘podcast’ ‘Early game’”

    “Consumo de ‘podcasts’ e produção de sentidos: análise do programa 'Mamilos – Jornalismo de peito aberto'”

    “Contexto de ‘streaming’ e mídias tradicionais: audiência, alcance e transformações na atualidade”

    Tags:
    © 2021 UEMG